29 de março de 2008

Roteiro a Pena Trevinca e Pico Maluro















Caminhos que levam a Pena Trevinca há quase tantos como a Roma. Desta volta escolhemos como ponto de partida a pequena aldeia de Vilanova, no concelho d´A Veiga.

Para chegar a Vilanova há duas opçons principais, dependendo do ponto de origem, mas ambas passam pola Veiga. Umha é chegar até a Rua de Valdeorras pola N-120 e desde aqui ir à Veiga. A outra seria a opçom mais ao Sur, na que há que ir até a Gudinha pola A-52, desde aqui até Viana do Bolo pola OU-533 e depois à Veiga. Umha vez nesta, tem-se de ir pola OU-177 direcçom Jares, que se colhe numha rotunda no centro da vila. Ao chegar ao cruzamento onde se escolhe entre a direcçom Jares-Seoane-A Ponte (OU-177) e Espinho-Lamalonga-Meixide-Vilanova (OU-176), escolher esta segunda e continuar até chegar a Vilanova.


Umha vez no ponto de partida vam ser necessárias 8 ou 9 horas de andaina, pois ao cabo terám-se caminhado por volta de 28 quilómetros safando fortes desnivelamentos. De Vilanova(1200m) até o pico Maluro(1934m) é um primeiro trecho marcado pola forte pendente que nom amainará nas duas horas e meia que vai levar a ascensom. Ao ir ganhando altura vai medrando o campo de visom, polo que ao pé do Maluro a paisagem é inesquecível: olhando cara o Norte veremos o Courel com as suas feridas (canteiras) e por trás os Ancares. Com voa visibilidade mesmo se pode enxergar a dorsal cantábrica. Na mesma direcçom mas em primeiro plano está a zona de Casaio onde a paisagem torna destruiçom, pois a extraçom de lousa ocupa gram parte do território, e já a meia altura na própria estribaçom do Maluro ve-se onde, de nom impedilo a oposiçom vizinhal, erguerá-se um parque eólico com o apoio e participaçom da Junta da Galiza. Deixando a desfeita a um lado, ao mirar cara o Leste e Sur-Leste debuxam-se os picos mais altos do maciço: Pena Súrvia(2095m), Pena Negra (2119m) e Pena Trevinca(2127m), ficando meio agachado perante estes o val do rio Jares. Ao Oeste a comarca de Viana do Bolo fica amuralhada polo maciço de Maceda, vendo-se com claridade cabeça de Maceda(1778m). Por último dizer que o entorno do caminho está dominado polo monte baixo, maioritariamente formado por uzeiras.

A partir do Maluro há que seguir um estreito trilho que serpentea polo alto da estribaçom, atravessando zonas rochosas nas que para além de carqueijas chamam a atençom os mantos de arando e nalgum caso algumha colónia de genebreira. Umha vez superado o Crestom, que é um passo duns 300m de distáncia caracterizado polo íngreme desnivelamento das suas vertentes, chega-se já ao maciço tendo Pena Trevinca à frente. Umha vez atingido o cume e depois dumhas 5 horas de caminhada é quando se pode desfrutar da fermosura do val do rio Tera, que olhando cara o Sul, vê-se povoado de enormes branhas sulcadas polas retortas augas do que é ainda um regato.

De aqui só resta descer polas cristas deixando à esquerda a fonte do Jares e atravessando os prados e rochedos do Sestil, até onde o próprio Jares começa um passeio tranquilo polo val que leva o seu nome, moi perto de onde se junta com o rio de Meladas. Desde aquí umha pista, que nalgum trecho semelha pendurada da ladeira, acompanha o val pola margem direita até desviar-se ao final cara o ponto donde partimos nove horas antes.







Detalhes para o Acampamento 2017 Olá montanheiras! Já está toda pronto para o acampamento: esta sexta-feira, dia 15 de S...