10 de janeiro de 2012

CRÓNICA: SERRA DE SAM MAMEDE, A EDREIRA E MONTES DO SAMIOM


O 14 de Janeiro do 2012 faziamos o que seria o nosso primeiro roteiro na ausência d@s companheir@s Maria e Antom, militantes e fundador@s de AMAL e organizador@s do anterior roteiro pola zona dos Ancares. Maria e Antom forom detid@s na primeira semana de Dezembro junto com outros dous companheiros independentistas, Edu e Teto, no marco dumha operaçom antiterrorista contra o independentismo galego. Desde a nossa organizaçom denunciamos a ilegalidade das detençons e da disperssom em prisons espanholas d@s 4 companheir@s e desexamos a sua pronta volta à Terra em total liberdade.

As 11:15 da manha, arrancava a andar o grupo de 6 montanheir@s desde a desembocadura do rio Queixa, fazendo-lhe fronte à giada que cobria toda a paisagem e que deixava umha temperatura que convidava a entrar em calor caminhando.

Grupo de montanheir@s ao começo da rota

Seguimos a pista rio arriba, direcçom Sul, e ao pouco tempo passamos por Ferreiria, umha aldeia na que só fica um habitante. Desde aqui viramos cara o Noroeste, seguindo a corga dos torneiros até chegar ao Teixedo, aldeia abandonada desde fai mais dumha década e que fica numha paisagem rodeada por prados, carvalheiras e bidueirais. O caminho atravessa a aldeia e vira cara à dereita para começar a subir pola paragem de As Gorbias.

Vistas do ascenso a Sam Mamede

Esta primeira parte da subida remata numha das entradas ao Bidueiral de Gabim, um pequeno exemplo da fraga que noutoutra cobria toda a serra. Como íamos bem de tempo e folgos, decidimos atravessa-lo e subir depois desde a cara Noroeste por um empinado corta-lumes até o alto de Sam Mamede, chegando assim à quota máxima do roteiro de 1618m. Ainda que o dia nom estava totalmente despejado, no ascenso poidemos desfrutar de fermosas vistas. Aproveitamos o refúgio para jantar, recolhendo-nos assim do vento que começava a soprar.

Grupo de montanheir@s no alto de Sam Mamede

Depois de repor forças e colher auga na fonte do Santo saimos em sentido Sudeste rodeando o val glaciar no que se assenta a aldeia de Rebordechao, chegando até o alto de Os Petaros, donde colhemos cara o Leste para começar a baixada cara a aldeia abandonada da Edreira, a primeira parte por pistas forestais e a segunda por um pequeno sendeiro que discorre à beira do rio.

Baixando pola beira do rio caminho da Edreida

Com os últimos instantes de sol chegamos até o refúgio da Edreira no que faríamos noite. Depois dumha rota de algo mais de 30km, quentamo-nos ao carom do lume e de repuxemos folgos cum prato de calhos quente para depois descansar para outra dura jornada de montanha.

Sentad@s ao carom do lume no refúgio da Edreira

Logo dumha noite de chuvia e de nom madrugar muito, o grupo de montanheir@s saimos da Edreira as 11:15 da manhá. Depois de cruzar os dous rios até o outra ladeira do val, começamos a ascender os montes do Samiom, sempre monte a través.

Ascenso aos montes de Samiom

Umha vez passados os 1200m, a neve acompanhou-nos em boa parte a jornada. O primeiro alto em coroar foi o Pendedo do Samiom, a 1367m. O dia nom deixava desfrutar muito das vistas, mas ainda assim impressionavam as verticais cuncas divisadas desde o alto. A partir de aqui seguimos cresteando, dirigindo-nos sempre cara ao Norte e deixando à esquerda o val do rio Queixa e à dereita o cordo do Boi, até acadar o alto do Gistral, a 1596m.

Foto de grupo nas crestas dos montes do Samiom

Desde aqui, e seguindo um corta-lumes coberto de neve, descendemos até a aldeia das Taboaças, para seguir baixando por um caminho até o rio Queixa. Olvidando as frias temperaturas da auga cruzamos até o outro lado para depois caminhar um pouco pola pista até donde tínhamos os carros. As 16:40 rematava esta segunda jornada de roteiro e depois de comer algo ao quente em Monte de Ramo, despedimo-nos até a seguinte rota.

Descendendo caminho de Taboaças

5 de janeiro de 2012

A Coordenadora INCINERADORA NO IRIXO NON, convoca unha mobilizaçom este sábado

A Coordenadora INCINERADORA NO IRIXO NON, convoca umha mobilizaçom este sábado, animando a toda a gente de bem a participar e a solidarizar-se, pois estám a reclamar o nosso apoio e difussom.

A mobilizaçom será o sábado día 7 de Janeiro às 16:00h horas No Irixo, na estrada que vai de Lalím a Carvalhinho ( OU-902) recta do Abanico (ao lado da Gasolinera). O percorrido será de 1 km, dende o o cruze de partida até a Praça do Concelho. Há estaçom de tren a medio km pertencente a linha Ourense-Corunha. Saída de Compostela: 13:45. Saída de Ourense: 14:36, volta Irixo-Compostela: 20:59, volta Irixo-Ourense: 20:31.

A manifestaçom convocou-se dende a Coordenadora INCINERADORA NO IRIXO NON côa intençom de parar a construçom da nova planta de incineraçom tipo SOGAMA, seria construída com um orçamento que será a metade do que foi o de SOGAMA no seu dia, e gestionado dumha maneira totalmente privada mediante a empresa Estela Eólica.

O objetivo no fundo é contrario ao mantemento da poboaçom no rural xa que é evidente que a implantaçom dumha planta incineradora num concelho fai bem pouco atrativo a implantaçom da poboaçom. Por outra banda nom aposta por setores e modos de vida próprios do rural como a agricultura ou a gandeiria.

As incineradoras estilo Sogama (como a que querem implantar no Irixo) só queren tratar a merda que produz a sociedade de consumo nas cidades lonxe, onde nom moleste; no rural, acrescentando as desigualdades entre o rural-urbano galego e convidando a marchar à vecinhanza para as cidades.

Charla informativa no Carvalhinho
A Casa da Cultura do Carvalhinho quedou-se pequena para escuitar a charla que derom o representante da Federación Ecoloxista Galega (FEG) e um biólogo membro da Sociedade Galega de Historia Natural, co galho da próxima implantaçom no Irixo dumha incineradora. Tratouse a xeraçom de residuos na Galiza, os perigos da incineraçom e o fracasso do modelo Sogama.

Argumentouse con dados técnicos e oficiais (da propria Xunta) como o modelo de incineraçom proposto é um modelo fracasado e totalmente desfasado. Comentouse cómo nom se fomentam políticas de reduçom, reutilizaçom e reciclagem, e por contra cómo se aposta pola incineraçom como primeira opçom em contra da disposiçom das diretivas europeias. Comentouse como non se cumprem os propósitos que aparecem no “Plan de Residuos de Galicia 2012-2020” de “Responsabilidade do Productor” (quem contamina paga) ou o de “Proximidade e suficiencia” (gestióm dos residuos próxima ás zonas de generaçom).
De querer contatar com as pesoas organizadoras da mobilizaçom deixamos aquí o contato:
Teléfonos de contacto:
Alberto (porta-voz): 666330333
Silvia: 677873357


Detalhes para o Acampamento 2017 Olá montanheiras! Já está toda pronto para o acampamento: esta sexta-feira, dia 15 de S...