27 de agosto de 2010

II Ciclo de Cinema Ambiental em Compostela


As próximas quinta-feiras, dia 12 e 26 de agosto às 22h projectarám-se os filmes do II Ciclo de Cinema Ambiental, organizada pola Comissom de Meio Natural da Gentalha.

Podes ler umha pequena recensom de cada filme com o dia, hora e lugar do ciclo a continuaçom:

  • 12 de agosto às 22h no CS O Pichel (Santa Clara, 21. Compostela):
A história das cousas
story of stuff. EUA, 2007. Direcçom: Louis Fox. 20 min

Da extraçom e produçom até a venda, consumo e descarte, todos os produtos na nossa vida afetam comunidades em diversos países, a maior parte delas longe dos nossos olhos. História das Cousas revela as conexons entre diversos problemas ambientais e sociais, e é um alerta pola urgência em criarmos um mundo mais sustentável e justo.

O mundo segundo a monsanto
le monde segons monsanto. França, 2008. Direcçom: Marie-Monique Robin. 108 min

O documentário "O Mundo segundo a Monsanto", traça a história da principal fabricante de organismos geneticamente modificados (OGM), cujos graos de soja, milho e algodom se proliferam polo mundo, apesar dos alertas de ambientalistas. O documentário destaca os perigos do crescimento exponencial das plantaçons de transgénicos, que, em 2007, cobriam 100 milhons de hectares, com propriedades genéticas patenteadas em 90% pola Monsanto.

A segunda e última sessom co Ciclo de Cinema Ambiental terá lugar no cemitério de Bonaval, o vindouro dia 26 de agosto, às 22h e os filmes projectados serám:

  • 26 de agosto às 22h no cemiterio de Bonaval (Compostela):

A ilha das flores

Brasil, 1989. Direcçom: Jorge Furtado. 13 min

De forma ácida e com uma linguagem quase científica, o curta mostra como a economia gera relaçons desiguais entre os seres humanos. O próprio diretor afirmou em entrevista que o texto do filme é inspirado em suas leituras de Kurt Vonnegut ("Almoço de Campeões"/ "Breakfast of Champions") e nos filmes de Alain Resnais ("Meu Tio da América"/ "Mon Oncle d'Amérique"), entre outros.

O crash do petróleo
A crude awakening. The oil crash. Suiça, 2006. Direcçom: Basil Gelpke, Ray McCormack. 90 min

Quanto tempo vai durar o nosso rico petróleo? É uma das perguntas que tenta responder o documenário. Conta com analise e comentário de cientistas, geologistas de algumas das grandes petrolíferas, analistas, o antigo secretário geral da OPEC, etc.

14 de agosto de 2010

Morte de brigadistas evidencia precárias condiçons laborais e fracasso da prevençom contra o lume


Com dous cadáveres a pairar sobre a consciência de todos, a problemática dos lumes de verao volve a pôr-se com toda a sua crueza. A morte de dous brigadistas em Fornelos de Montes está a motivar múltiplas reacçons: desde as tentativas de silenciamento mediático do PP, que se lançara ao ganho de votos quando o bipartido nom dava controlado os lumes, até os protestos das forças sindicais, que pedem responsabilidades polos défices de segurança no trabalho. Seja como for, o drama evidencia as consequências humanas e ambientais de manter boa parte da Galiza como um 'deserto verde', segundo dizem sindicalistas agrários e ecologistas. Também o independentismo, através da FPG, fijo pública umha análise crítica sobre as condiçons laborais e a política anti-incêndios do PP.

Concentraçom.

Jornadas longas, escasseza de pessoal e, nomeadamente, procura de cubrir objectivos impossíveis. Essas som algumhas das críticas mais frequentes contra a política florestal da Junta de hoje, continuidade essencial da desenvolvida no fraguismo. No dia de onte, delegadas sindicais concentrárom-se nas instalaçons de SEAGA no polígono do Tambre, em Compostela, e preparam um novo acto de protesto para a segunda feira em Ponte Vedra. Eram perto dum cento de pessoas, convocadas polo comité de empresa, que lérom um comunicado onde se instava à administraçom a abrir umha pesquisa independente, com presença da representaçom dos trabalhadores e trabalhadoras.

O colectivo ambientalista Verdegaia fixera também pública, semanas antes de se consumar este drama, umha análise sobre esta problemática, reiterando a pouca atençom institucional sobre o trabalho preventivo. O informe reproduzido é do colectivo espanhol Ecologistas em Acçom, que aponta aliás algumhas consideraçons polémicas no movimento popular, como os chamados a maior presença policial nos montes, controlando assi o risco de incêndios com políticas punitivas.

Por seu turno, a Frente Popular Galega fijo público um comunicado nestes dias, assinalando 'a gestom da situaçom de crise e emergênci em chaves eleitoralistas' do governo Feijoo. A crítica alude ao silenciamento aplicado polos gabinetes de imprensa do PP neste mês de Agosto, informando apenas dos grandes lumes que nom se podem ocultar à opiniom pública.

A FPG exige também umha investigaçom independente, mostra solidariedade com as famílias dos finados, e chama à 'luita obreira para prever novos accidentes laborais'.

A crítica da orde.

A escandalosa situaçom dos montes da Galiza leva mesmo a imprensa comercial a fazer públicas certas críticas, com o fim de aliviar tensons e recriar um debate democrático. Ainda que se trata de críticas essencialmente falsárias, dado que as pronunciam conhecidos servidores dos partidos institucionais, podem estar formuladas com rigor e reproduzir reflexons certas.

É o caso de X.L. Barreiro Rivas, que nas páginas de 'La Voz de Galicia' aponta a irresponsabilidade de sacrificar vidas humanas para deter uns incêndios imparáveis, fruto dumha organizaçom do território irracional. 'A cultura ecológica que temos criado, e a falta de protecçom de vivendas e indústrias, obriga as equipas de extinçom a cumprir objectivos que devessem ser desprezados', afirma o opinólogo. Continua a vencelhar o acontecido com o esbarulhamento territorial do agro galego, numha análise que qualquer sentido comum suscreve sem matizes: 'contra o que antes acontecia, quando os lavradios, as hortas e os prados construiam um círculo de protecçom por volta das casas e faziam-nas invulneráveis contra os incêndios florestais, o modelo habitacional de hoje nom só espalha as casas ao chou, senom que semelha gostar dessa ecologia urbanita e romántica que fai entrar os ramalhos dos pinheiros pola janela do quarto.'

[Nova tirada do galizalivre.org]

Mapa dos incêndios forestais na Galiza no que vai de ano 2010:


Ver Incendios Forestais - Incendios Forestales - Galicia 2010 nun mapa máis grande


PROGRAMA COMPLETO DO V FESTIVAL DA MOCIDADE + 1º ACAMPAMENTO DA MOCIDADE


Publicamos o programa completo do V Festival da Mocidade, que este ano decorrerá na Sainza (Rairiz de Veiga) o próximo 21 de Agosto organizado pola Aguilhoar. Unha nova edición com o intuito de oferecer a todas as e os limiaos um espaço de lazer alternativo e que terá como tema de debate central o FEMINISMO.


Umha JORNADA COMPLETA que inclui formaçom, gastronomia e festa, disponibilizando umha zona de campismo, e cujo calendário de actividades irám desde exposiçons, jogos, palestras etc, bem como umha grande comida popular, á que animamos a todas e todos a participarem e, por último, os concertos musicais com os Os Esquíos, Post Mortem e Skandalo Gz, após a queda do cartaz dos viguesses, Sem Resposta.


Mais info. http://festivaldamocidade.blogspot.com/


1º Acampamento da Mocidade


Ainda, desde a sexta 20 até o domingo 22 de Agosto decorrerá o 1º Acampamento da Mocidade também na Sainza aderindo às actividades do V Festival da Mocidade e ampliando ainda o leque de actividades.

Mais info. http://acampamentodamocidade.blogspot.com/



Detalhes para o Acampamento 2017 Olá montanheiras! Já está toda pronto para o acampamento: esta sexta-feira, dia 15 de S...