30 de agosto de 2009

Acampamento de montanha 2009: Defesa da Terra, formaçom, festa e militância

Preme no cartaz para o ver de perto

Os dias 18, 19 e 20 de setembro som as datas para o acampamento de montanha 2009.

Este é a segunda ediçom do Acampamento de Montanha. Neste 2009 organizamos três jornadas de conhecimento directo da serra, longe dos barulhos habituais, e numha comarca que nom se salvou das cuiteladas das grandes infraestruturas, a Seabra.

Desta vez deslocamo-nos ao sul-leste do território galego, a Luviám, tristemente de actualidade por ser um dos tramos desse AVE tam destrutivo com a nossa terra. Umha infraestrutura que consome milheiros de euros e arrasa com o meio natural, vilas e aldeias.

A construçom do AVE destrozará os montes e bosques de Luviam para fazer umha obra nom necesaria para @s galeg@s; um meio de transporte elitista que contribuirá como muitas outras á desfeita do nosso pais em beneficio duns poucos.

Na linha que vimos defendendo de AMAL, tencionamos que os encontros sirvam para conhecer directamente a Terra e livrar-nos de tanta ignoráncia que ainda arrastamos sobre ela; para saber das agressons que padece, e das melhores maneiras de combater os expoliadores que estám a ameaçar a Galiza; para debater e formar-nos; e demostrar que formas de vida anti-consumistas som possíveis. Por suposto, também apostamos pola diversom, mas procurando fugir do lazer encadeado ao dinheiro, à incomunicaçom e às drogodependências.

Como chegar?

Disponibilizamos os horarios de comboio desde Ourense para se achegar a Luviam e voltar o domingo:

Ourense-Luviam----------------- Quinta-Féira 17 de Setembro às 17:25
Ourense-Luviam ---------------- Sexta-Féira 18 de Setembro às 20:10
Luviam-Ourense----------------- Domingo 20 de Setembro às 18:10

Desde AMAL recomendamos que vaiades em transporte público, a pé ou em bicicleta. De precisar vir em transporte privado, compartilhádeo com outras pessoas que tenham pensado ir.

Programaçom do Acampamento 2009:

Resumo 6ª feira
10:00 Recibimento
11:00 Saída rota do Castro das Muradellas. Dificuldade baixa
16:00 Trabalhos na zona de campismo
20:00 Palestra: História e língua da comarca e da Galiza irredenta em geral. Com Mário Pereiro e Xavier Xil.
22:00 Ceia
22:30 Jogos
Resuma sábado
8:00 Alvorada
8:30 Almorço
9:30 Roteiro + formaçom em reconhecemento de plantas
19:00 Palestra: Soverania alimentar. Lidia Senra (Sindicato Labrego Galego)
21:00 Ceia
22:00 Foliada com gaiteir@s, pandereteir@s, tamborileir@s, acordeonistas ... e algumha sorpresa.
Resumo domingo
8:00 Alvorada
8:30 Almorço
9:30 Gincana
14:00 Jantar + recolhida
16:00 Palestra: As consecuências do AVE. Marta (autora do vídeo "O AVE: de Barcelona a Galiza")
17:30 Finalizaçom da actividade
18:10 Trem de volta

Como anotarse?

A dia de hoje podes anotar-te enviandonos um correio a aguaslimpas@gmail.com ou chamando ao 988 280 400 (de 9h a 14h). Faino quanto antes porque precisamos ja a listagem de asistentes para preparar as actividades, comida, etc. O preço das jornadas som 20 Euros para afrontarmos gastos de comida e alojamento.

Que precisas?

Por suposto, tenda de campanha e roupa de monte (apenas botas, prendas resistentes e mudas, deixa-te de marcas e consumo de logos comerciais). Umha linterna, se podes uns prismáticos, navalha... . Nom te preocupes da comida, que disso já se encarrega a organizaçom. Ainda que che pareça mentira, nom precisas praticamente dinheiro, porque na montanha consume-se pouco. Umhas poucas moedinhas por se precisas fazer umha chamada de urgência dum telefone público (no monte tampouco se precisa móbil).

Isso si: som obrigatórias as ganas de andar, de conhecer a nossa Terra e energias para contribuir a esta comunidade de resistência polo nosso país.

Podedes consultar na nossa própria página (no lateral arriba) as entradas do "acampamento de montanha" do ano pasado.

Imagens do concelho de Luviam:




Imagem da aldeia de Luviam

Luis Caruncho, gaiteiro e zanfonista que participou na foliada do acampamento do ano passado, fixo este video-clip de música tradicional com o seu grupo Os Carunchos onde podemos ver o mapa comarcal coa toponímia do pais e ao propio Luis tocando e dançando na Seabra; Comarca onde se fai o acampamento este ano. A letra cantada é original de Manuel Maria do poema Galicia do seu libro Os soños na gaiola de 1968:




21ª MARCHA: RIO BELELHE E MONTE DE ANCOS


Umha das fervenzas do rio Belelhe

CRÓNICA

Este Sábado 29 de Agosto a Agrupaçom de Montanha “Augas Limpas” organiza um roteiro na comarca de Trasancos. Desta volta deslocaremo-nos ao norte do país, até o Concelho de Neda no fundo da Ria de Ferrol. Este Concelho de arredor de 6700 pessoas, limita com os Concelhos de Narom, Capela, Sam Sadurninho e Fene.

Começaremos na vila de Neda que no seu dia tivo um estaleiro de grande importáncia para o sector naval. Nas ruas do seu centro histórico atoparemos prédios dos séculos XVII e XVIII. Saímos da vila para continuarmos cumha pequena ascesiom até o Monte Marrajom de 333m, o qual conserva um dolmem.

Deseguido, caminharemos até toparmo-nos com o val do Rio Belelhe no Roxal onde podemos desfrutar da fervenza do mesmo nome com umha caída de quase 50m de altura. Esta zona tivo grande importáncia económica e no desenrolodo da sociadade nedense nas suas augas forjárom-se as primeiras indústrias. Sorprende a quantidade de moinhos artelhados no percurso do rio Belelhe (hoje alguns reconvertidos em piscifactorias adicadas a cria da troita) que forneciam de pam à comarca e mesmo no seu tempo à Marinha dos Austrias. Aliás passaremos polo Paço de Isabel II, do s.XIX, antigua fabrica téxtil.

Deixamos o val do rio para aproximar-nos a terras mais altas até chegar a Vila Donelhe onde se conserva um castro acarom da igreja. Desde aquí deslocamo-nos até até umha pista florestal no Monte Louseira (465m) na parróquia de Sam Pedro de Anca. Nesta parróquia atopamos o dolmem chamado “Mámoa do Inglés”. Seguindo por umha pequena estrada comarcal aproximamo-nos ao monte de Ancos (262m) e de grande importáncia estratégica no seu dia polo seu emprazamento, dominando o fundo da ria. Aqui atopamos um castro relacionado com o assentamento Libunca a capital dos Ártabros e hoje parcialmente destruído por umha estrada. Completamos o percurso baixando o monte caminho da ria de Ferrol e coincidindo cum tramo do caminho Inglés. Finalmente chegamos de novo ao centro histórico de Neda.

Fauna e vegetaçom

Nas marismas da ria conservam, anidam e vivem garças, parrulos, diferentes gaivotas e martinhos peixeiros, que complementam a fauna de pequenas aves de rapina, como minhatos. No rio atopamos troitas e até recentemente, era possível ver lontras. É comum ver xabarins e algum corzo.

Saída:

Sábado 29 de Agosto DE 2009, às 9:30hh diante da Casa do Concelho de Neda.

Percurso:

O percurso de 20km terá umha duraçom aproximada de 7 horas incluíndo as paragens para jantar e descansar.

Dificuldade:

Média-Baixa. Haverá alguns tramos de subida.

Material:

Além de material cómodo para caminhar e adecuada ao tempo (um chuvasqueiro nom sobra) cómpre leavar auga (aconselha-se dous litros por pessoa e dia) e comida para o jantar. Nom estaria demais levar prismáticos já que há miradores naturais nos quais é possível visionar comarca quase por completo.

Detalhes para o Acampamento 2017 Olá montanheiras! Já está toda pronto para o acampamento: esta sexta-feira, dia 15 de S...