O NOSSO OBJETIVO É O MIRAVALES, NA SERRA DOS ANCARES

Ascenderemos o Miravales, nos Ancares, no último fim de semana de outubro

Depois do obrigado parom estival, e de termos realizado o nosso convívio em Ortegal, AMAL volta à média montanha. Começamos a temporada com umha visita a umha das serras mais senlheiras, os Ancares, onde a nossa Agrupaçom já tem organizado marchas, vivindo bons momentos.
Os Ancares som a serra que inclui umha vasta cordaleira de picos que vam do Miravales (mais ao norte) até o Alto do Cebreiro. As suas elevadas superfícies andam entre os 1500 e 2000 metros. Linda ao sul com o Courel, e ao norte com a Fonsagrada, com altitudes menores, e com o cordal cantábrico, que nos introduz nas terras vizinhas do Eo-Návia. Ao leste tem a depressom berciana, e ao oeste as terras chas de Lugo.
Os vales dos ancares tenhem quase todos orientaçom horizontal (de leste a oeste), com a única diferença do berciano Vale de Balboa. As suas fronteiras estám marcadas polos rios: Návia ao oeste, Íbias ao norte, Valcarce ao sul, Cua ao leste.
Historicamente, a serra foi conhecida como os 'Montes de Cervantes' (em alusom ao concelho do mesmo nome). Com o passo do tempo, assentou-se o nome que conhecemos, e que toma como referência o Vale de Ancares.

Os Ancares hoje.
A todos e todas nos sonam as problemáticas que assolam a serra: despovoamento, nulo apoio político, falta de serviços, avelhentamento...para mais, a atual extrema direita que governa a Junta enfreou a declaraçom da serra como Parque Natural (igual que fai com o Courel). Com isso e contodo, gratifica ver como existe vizinhança que continua a pelejar polo seu, como comprovamos no blogue ancares-terracelta.blogspot.com.

O roteiro.
O nosso objectivo é o Miravales, administrativamente leonês, a 1966 metros de altitude. Dado que os dias começam a encolher, marcamos a cita de saída às 8h00 diante do albergue da Degrada, o sábado 29 de Outubro.
De alô iremos nos carros até Búrbia, onde se situa o albergue, e onde faremos noite.
Ao dia seguinte, faremos um roteiro de menos duraçom e maior facilidade para aquelas pessoas às que se lhe faga excesiva a primeira rota.
As pessoas assistentes devem levar o sempre imprescindível na montanha: roupa de abrigo e muda, calçado ajeitado, água, duas comidas ligeiras, saco e esteira.
Se o tempo o permite, e como é habitual, aproveitaremos para difundir pola zona a propaganda que a nossa Agrupaçom está a realizar contra a vaga incendiária e denunciando o papel nefasto da Junta.

A AGRUPAÇOM DE MONTANHA AUGAS LIMPAS (A.M.A.L.) é umha organizaçom independentista de defesa da terra. Toma o seu nome de um dos campamentos que o Exército Guerrilheiro do Povo Galego Ceive tinha nos Montes do Invernadoiro, no Maciço de Maceda.

A Terra galega comprende a actual Galiza administrativa e os territórios históricos orientais da Terra Návia-Eu, Vale de Íbias e Berzo,
a Cabreira e a Seabra.

A defesa da Terra implica conhecer, sentir, respeitar, desfrutar e identificar-se com o nosso País, o seu povo e a sua cultura.

A defesa da Terra implica defender o direito das galegas e galegos a vivermos dignamente no nosso território, sem ingerências impostas desde fora.

A defesa da Terra implica viver e relacionar-se com outras pessoas e com a natureza longe dos parámetros do consumo, individualismo e depredaçom capitalistas.

A defesa da Terra implica construir umha comunidade de resistência que faça frente à violência e espólio sistemáticos que se exercem sobre os recursos naturais, económicos e identitários da Galiza.


A AGRUPAÇOM DE MONTANHA AUGAS LIMPAS tem como actividades:

  • Conhecimento e desfrute da nossa Terra.
  • Marchas e campamentos de montanha.
  • Conscientizaçom e denúncia das agressons sobre o nosso território.


As actividades desenvolvem-se em território galego. O funcionamento interno é assembleário, havendo responsáveis de distintas funçons e actividades.

O símbolo da AGRUPAÇOM DE MONTANHA AUGAS LIMPAS é um/ha montanheiro/a com cabeça de cabra, símbolo de identificaçom com a nossa Terra.

Poderá fazer parte da A.M.A.L. qualquer galeg@ que partilhe estes princípios e esteja dispost@ a participar nas suas actividades.