PROGRAMA DE ROTEIROS E ACAMPAMENTO DE MONTANHA - 2013


DE ROTA POLO MACIÇO: Janeiro-Março 2013 
O Maciço Galego está formado por umha serie de serras mais ou menos desordenadas, mas que obedecem a dous limites bem definidos por acidentes geográficos: polo Norte o encaixotamento do Rio Sil e polo Oeste a Falha de Maceda coas depressons de Verim e Maceda. Podemos considerar como conjuntos montanhosos principais a Serra de Sao Mamede, a Serra da Queixa e os Montes do Invernadeiro, malia que existam derivaçons destas de grandes dimensons como o Fial das Corças, os Montes do Samiom ou a Serra da Pena. No futuro vamos prestar atençom ao bloco que formam a Serra de Sao Mamede, a Serra da Queixa e Os Montes do Samiom, por ser alvo das expediçons de Janeiro e Março. A de Sao Mamede apresenta umha orientaçom NO-SE e é a parte ocidental do maciço. Forma ángulo reto com a Queixa (NE-SO) e com os Montes do Samiom (NE-SO). No vértice onde se unem as tres formaçons nascem inúmeros regatos dominados polo Hedreira que após várias achegas formará o rio Queixa. Este escava um dos vales mais grandes do maciço até morrer no encoro de Chandreja de Queixa.

19-20 janeiro: Sao mamede – Samiom
Em Janeiro trilharemos os caminhos dos vales de Sao Mamede partindo da Ferreria e terminando na Hedreira, para ao dia seguinte subir os montes do Samiom atingindo de novo a Ferreria após vadear o rio Queixa.
Dificuldade média.

16-17 Março: Serra de queixa – Samiom
Deixaremos para Março outra rota de dous dias que partirá da aldeia de Requeixo cresteando até atingir a serra da Queixa no pico do Seixo (1706m). Daqui iremos até a Hedreira onde repetiremos durmida para ao dia seguinte atravessar outra volta o Samiom, mas desta vez desviando o rumo cara o Leste dando cabo da ruta de novo em Requeixo, se chegarmos!!
Dificuldade alta.

ANCARES: 31 Maio, 1-2 Junho
A Serra de Ancares é uma sucessom de vales e cristas salientes em que, ocasionalmente, sobressaem barras quartzíticas. Trata-se de um conjunto de vales encaixados paralelos uns aos outros, abertos polos afluentes do rio Navia, como o Ser, Quindous, Vara, Casal, Cervantes ou Valdeparada, ou polos pertencentes à bacia do Sil, como é o caso do Cuinha, Burbia, Telheira e Valcarce. Em grande medida a serra corresponde ao interflúvio Navia-Sil.Umha parte muito importante da serra está ocupada polo monte baixo. Isto mostra a intensa humanizaçom a que estivo submetida ao longo dos séculos. Entre as numerosas espécies dominam as urzes, como a Erica aragonensias, E. cinerea, E. arborea o E. umbelhata ou a Genistelha tridentata. Com elas convivem outras espécies características destas formaçons como as giestas ou os piornos. Ancares reune um conjunto de "fragas" esplêndido. Entre elas som de destacar a Grova Fragosa e Calangros de Brego, no Monte Pena Rúbia; As Monteiras e Cabanavelha, na Serra do Pando e o Abesedo de Donís, no vale do rio Ortigal. Os bosques de Ancares servem de habitat a espécies raras ou em perigo de extinçom como a marta (Martes martes), a galinha do monte (Tetrae urogalhus) ou, esporadicamente, o urso (Ursus arctos).

Este roteiro a Ancares combinará as rotas de montanha com outras polos vales onde apreciar e conhecer a sua viçosa vegetaçom, aproveitando um momento de esplendor como o da primavera. Faremos as noites em albergue, cumpre andar atentas ao nosso blogue onde publicaremos umha informaçom mais detalhada.
Dificuldade média
NA TERRA DE NÁVIA-EU: 1-2-3 Novembro 
AMAL deslocará-se até a Galiza oriental para percorrer a terra de Oscos, no Eo-Návia. A zona de Oscos ronda os 600m de altitude, cumha altitude máxima de 950m. A maior parte da sua povoaçom adica-se à gandeiria, principalmente à produçom de carne de vacum. Tem umha grande riqueza mineral e geográfica, aproveitada historicamente polas suas gentes e patente nos indícios e restos de antigas extraçons de ferro e ouro. Som muitos os muinhos, fraguas e ferreirias que se podem atopar nas beiras dos rios, algumhas destas instalaçons ainda funcionando. É importante sobre todo a produçom de cuiteleria, por parte dos ferreiros, que é a tarefa que mais se conserva hoje e que ainda serve como verdadeiro ofício. Hidrograficamente, os Oscos pertencem à bacia do rio Návia. O Agueira, afluente deste que nasce na Fonsagrada, atravessa os Oscos e desemboca à altura de Pelorde, no concelho de Pesoz. Durante os roteiros caminharemos nas inmediaçons do Agueira e dos seus afluentes.A sua flora está conformada principalmente por árvores caducifólias como o carvalho, a bidueira, o castinheiro ou o freixo, rodeadas de outras coma o azivro ou o teijo. No que respeita à fauna nom podemos esquecer a presença do lobo (Canis lupus) que conta com um número considerável de indivíduos na serra da comarca.A sexta-feira e o sábado, disporemos dum lugar a coberto no que fazer noite, no concelho de Santalha. É necessário levar isolante para o chão e saco de dormir.
Dificuldade média-baixa.
 

ACAMPAMENTO DE MONTANHA 2013
 COUREL 20-21-22 Setembro
MINÁRIA DAS LOUSEIRAS FORA DA GALIZA!!

Desde hai anos a AMAL organiza um acampamento de montanha no último fim de semana do verao no que, para além de roteiros, actividades formativas relacionadas com o montanhismo, actividades de lecer, jogos,... centra o seu discurso contra algumha das múltiples agressons a combater para frenar a destruiçom da nossa Terra e, em concreto, dos nossos montes, emblemáticos lugares para a nossa identidade colectiva.

Nesta ocasiom e num lugar como este, nom podiamos esquecer a brutal agressom que supom a expoliaçom mineira do nosso Pais e o caracter colonialista da gestom da sua exploraçom.

Articles les plus consultés